domingo, 20 de agosto de 2017

Cataratas do Iguaçu - Brasil e Argentina


A visita às Cataratas do Iguaçu é um acontecimento marcante na vida de qualquer pessoa. É fácil garantir isso. Estive por duas oportunidades na região e pude ver dois momentos distintos no volume de águas, um em agosto (2015) com grande volume de águas, e outro em julho (2017) com volume um pouco menor. Estas fotos são desta visita de agora.

A região guarda a maior parcela de Mata Atlântica remanescente da floresta original das Américas de séculos antes da chegada e exploração dos colonizadores europeus. Os dois parques nacionais, o Parque Nacional do Iguaçu (Brasil) e o Parque Nacional del Iguazú (Argentina), são patrimônios naturais da humanidade desde os anos oitenta.

Recomendo aos amig@s que visitam este Blog que reservem alguns dias para a visita a região. Será inesquecível a experiência do contato com aquele mundo das águas.

William

Chegando ao mundo das águas.

Tucanaçu - Parque das Aves.

Arara Macao - Parque das Aves.

Cataratas do lado argentino, visão do lado brasileiro.

Visão da passarela do lado brasileiro. Garganta do Diabo
(lado argentino) ao fundo.

Cataratas brasileiras, a partir da passarela.

Panorâmica, cataratas brasileiras e
garganta do Diabo ao fundo.

Cataratas, lado brasileiro.

Panorâmica de Itaipu Binacional.

Seis Gralhas Picaça, da família dos corvos. Lado argentino.

Passarela de acesso à Garganta do Diabo. Lado argentino.

Nuvens de água da Garganta do Diabo.

Garganta do Diabo, e nuvens de água pela força das quedas.

Quati argentino, de habla castellana.

Paredão de cataratas do "circuito superior" do lado argentino.

Família brasileira no
mundo das águas.

Arco Iris nas Cataratas del Iguazú.

Por do Sol no Parque del Iguazú, Argentina.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Lendo Paulo Leminski - La vie en close (1991)




Travelling life

                               (para Bere)

     é como se fosse uma guerra
onde o mau cabrito briga
     e o bom cabrito não berra

     é como se fosse uma terra
estrangeira até pra ela
     como se fosse uma tela
onde cada filme que passa
     toda imagem congela

     é como se fosse a fera
que a cada dia que roda e rola
     mais e mais se revela

Poema de Paulo Leminski, do livro La vie en close.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Livros de presente - Que coisa boa!



Novos livros na lista dos objetivos de leitura.
Espero viver muito para ler tudo que gostaria.

Ler e escrever é uma arte humana. A leitura pode mudar e muda a vida dos leitores. A leitura mudou a minha vida. Ainda muda a cada nova aventura.

Que delícia receber livros de presente! Ganhei livros de Chico Buarque, que pedi à minha esposa. Deve ter dado trabalho atender ao meu pedido. Obrigado querida!

Ainda tive a sorte de ganhar livros de amigos. Ganhei do Leandro o livro de Miruna, filha do José Genoino, e o livro está autografado pela autora! E ganhei o livro sobre Gorbachev, do amigo Sandro.

Por fim, ganhei em meu trabalho o livro sobre Saúde Suplementar.

Eu gostaria de ter mais tempo para leituras, mas sigo procurando pedacinhos de tempo para ler e sigo em busca de fortalecimento de minha essência e em busca da paz, apesar de viver num mundo muito distante desse sonho.

Obrigado de coração pelos presentes!

William

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Por do Sol por detrás do Aeroporto de Brasília


Estava eu chegando na última sexta-feira, 2 de dezembro, vindo de Cuiabá, onde cumprimos mais uma agenda de trabalho em defesa de nossa Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil, quando o Aeroporto de Brasília foi envolvido por aquele céu alaranjado com o Por do Sol.

Por do Sol por detrás do Aeroporto de Brasília.
Foto de William Mendes.

Para dar um tom mais espetacular na luminosidade, havia acabado de chover e a água no asfalto ampliava a dimensão das luzes do Por do Sol.

Por do Sol na pista molhada
do Aeroporto de Brasília.

É isso! Foi um instante de luz... luzes...

William

domingo, 13 de novembro de 2016

Teatro Amazonas - imagens que falam por si


Visitei Manaus a trabalho em 2015. Com frequência, minhas agendas de viagem não me permitem conhecer as belezas culturais locais. 

Todavia, o meu desejo de conhecer o Teatro Amazonas era tão antigo, que decidi que o visitaria nem que fosse em meu horário de almoço. Assim foi feito e valeu muito a pena.

Neste momento, estou lendo o romance Dois Irmãos (2.000), do amazonense Milton Hatoum. Ganhei o livro de presente da amiga Lorena, que fez curso de formação conosco quando estivemos na Contraf-CUT. Agradeço novamente pelo belo presente.

Enquanto estou mergulhado na estória dos dois irmãos e desta família libanesa, em meio ao espaço amazônico, me lembrei da visita que fiz rapidamente a Manaus.

Segue abaixo algumas fotos da visita ao Teatro Amazonas e arredores.

William


Vista frontal do Teatro Amazonas.
A estátua simboliza a Amazônia. O piso simboliza
o encontro dos rios Negro e Solimões.
Visão diagonal do Teatro Amazonas
mostra a grandeza da obra.
Vista de uma das laterais do Teatro Amazonas.
Um dos antigos carros da época, em frente ao Teatro.
Um dos diversos lustres do Teatro Amazonas.
Conjunto arquitetônico ao redor do Teatro Amazonas.
Igreja de São Sebastião, ao lado do Teatro Amazonas.
Placa com dados do Teatro Amazonas,
inaugurado em 1896.
Palco do Teatro Amazonas.
Galerias do Teatro Amazonas.
Cadeiras do Teatro Amazonas.
Um cidadão impressionado com obra descomunal.
Entre Gil Vicente e Beethoven no Teatro Amazonas.
Parte posterior do Teatro Amazonas.
Parte central do Teatro Amazonas.
Palco do Teatro Amazonas visto das galerias.
As luminárias do Teatro Amazonas são estupendas.
Maquete do Teatro Amazonas feita em Lego.
Composição: Teatro Amazonas - Deusa - Torre da Igreja.
Gosto de montar composições assim.
Belo conjunto de colunas do Teatro Amazonas,
no terraço superior.
Teto de um dos salões do Teatro Amazonas.
Um dos salões do Teatro Amazonas.
Nos despedimos do Teatro Amazonas,
olhando belo contraste com céu azul.

Fotos de William Mendes. Qualquer uso de imagem deste blog deve ser com citação da fonte e sem uso comercial.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Abstratos - 111016


Abstratos - 111016

Instantes

Durante uma reunião de trabalho. Eu não posso falar muito sobre os momentos de bastidores do meu trabalho, mas posso confessar que meu trabalho atual gera sofrimento psíquico, que afeta a saúde. Mas o que ocorre comigo, ocorre com meus pares, meus colegas bancários.

William

domingo, 21 de agosto de 2016

Ipês brancos e amarelos na Brasília invernal



Buquê de ipê branco. Uma graça!

Neste final de semana de 20 e 21 de agosto, saí para correr e caminhar nesta bela cidade de Brasília, de tantas flores e verdes em todas as estações do ano.

Estamos em meio a ipês de cores várias - rosas, roxas, amarelas e brancas. Finalmente achei ipês brancos! Eles são super-sensíveis e suas floradas caem rapidamente.

Vamos ver umas fotos dessas maravilhas da natureza.

William

Ipê branco no Eixão
sob céu nublado.
Ipê branco no Eixão - céu nublado,
branco sob branco.
Ipê amarelo no Eixão.
Ipê amarelo no Eixão sob céu nublado.

E agora, vamos para as fotos saideiras desta postagem.

Ipê branco em mini-árvore.
Ipê amarelo em frente de casa.
Arvorezinha Primavera.
Vereda invernal onde
moro em Brasília.

Flores flores e flores...